sábado, 21 de janeiro de 2012

SEGUINDO À DISTÂNCIA


(..)observamos a posição perigosa de Pedro na noite em que o Senhor Jesus Cristo foi traído. Aliás, Pedro estava sempre em posição perigosa quando se afastava de Jesus. Bem intencionado, mas instável e impulsivo, necessitava em especial da mão amiga do Senhor Jesus Cristo.
Foi por segui-lo de longe que ele fracassou vergonhosamente. Arrependeu-se quando Jesus o olhou e ele se deu conta do que havia feito.
Em outra ocasião, afastados um pouco de Jesus, seus discípulos começaram uma acalorada discussão sobre quem deles seria o maior. Quando estavam de novo em casa, o Senhor perguntou-lhes: “O que vocês estavam discutindo no caminho?” (Mc 9:33). Pedro, sempre pronto a falar, daquela vez ficou em silêncio. Envergonhara-se do baixo nível da conversação quando distante do seu Mestre.
 Não seria sempre assim? Quando o cristão sai da luz e do amor de Jesus, cai em armadilhas. É muito perigoso. Infelizmente é fácil ser como Pedro: segue-se Jesus à distancia, não assumindo um compromisso sério com o Senhor(...) Tal como foi com Pedro o resultado será no mínimo um amargo remorsos, com o risco de perder completamente o rumo da vida cristã.
Ler- (Mt 28.20; Lc 22.54b)