segunda-feira, 6 de agosto de 2012

ESTA FOI A CHANCE DE CONTAR A HISTÓRIA DO "PACOTE DE BISCOITO"


Quando fiquei em casa, no domingo com minhas filhas, eumoldei uma cena com elas:
A Brenda estava tomando café.
Eu também, e minha xícara é idêntica a dela.
Enquanto a Brenda ia para a cozinha escondi a xícara em que estava o café dela e coloquei a minha que tinha pouco café.
Quando ela retornou, a pessoa que estava perto era a sua irmã Bruna, e foi logo reclamando, somente porque estava a sorrir, e eu não me agüentando interiormente da cena, resolvi abri o jogo e contar esta pequena mensagem.

O PACOTE DE BISCOITO


Era uma vez uma moça que estava á espera de um vôo na sala de embarque de um grande aeroporto.
Como ela deveria esperar por muitas horas pelo seu vôo, resolveu comprar um livro para matar o tempo
Comprou, também, um pacote de biscoitos.
Sentou-se numa poltrona, na sala VIP do aeroporto, para que pudesse descansar e ler em paz.
Ao seu lado sentou-se um homem.
Quando ela pegou o primeiro biscoito o homem também pegou um.
Ela se sentiu indignada mas, não disse nada. Apenas pensou: - Mas que cara de pau! Se eu estivesse mais disposta, lhe daria um soco para que ele nunca mais esquecesse!
A cada biscoito que ela pegava o homem também pegava.
Aquilo a deixava tão indignada que não conseguia nem reagir
Quando restava apenas um biscoito, ela pensou: - Ah..., o que será que este abusado vai fazer agora?
Então, o homem dividiu o último biscoito ao meio, deixando a outra metade para ela.
Ah..., aquilo era demais!!!
Ela estava bufando de raiva!
Então ela pegou seu livro e suas coisas e seguiu para o local de embarque
Quando ela se sentou, confortavelmente, em sua poltrona, já no interior do avião,  olhou dentro da bolsa  para pegar uma bala e,  para sua surpresa...  o pacote de biscoitos estava lá...  ainda intacto,  fechadinho!!!
Ela se sentiu ridícula de tanta vergonha!
Só então percebeu que a errada era ela, sempre tão distraída! Ela havia se esquecido que seus biscoitos estavam guardados, dentro de sua bolsa...
O homem havia dividido os biscoitos dele sem se sentir indignado, nervoso ou revoltado, enquanto ela tinha ficado transtornada, pensando estar dividindo os dela com ele
E... já não havia mais tempo para explicar... nem para pedir desculpas...
*************************************************************

Após contar esta pequena história falei que não olhe jamais para o exterior da pessoa (porque ela viu a Bruna rindo) ou tire conclusões precipitadas. 
Fatos, conceitos existem para serem analisados, não precipitadamente, mas com calma.