sexta-feira, 30 de novembro de 2012

MORRE O JORNALISTA - JOELMIR BETING

Morre aos 75 anos o jornalista Joelmir Beting

Ele estava internado desde outubro por causa de uma doença autoimune e sofreu um Acidente Vascular Encefálico no último fim de semana. O corpo foi cremado na tarde de quinta.

Morreu, na madrugada desta quinta (29), em São Paulo, aos 75 anos, o jornalista Joelmir Beting. Ele estava internado desde outubro por causa de uma doença autoimune e sofreu um Acidente Vascular Encefálico no último fim de semana. O corpo foi cremado na tarde de quinta.
Centenas de colegas, amigos e admiradores foram ao velório de Joelmir Beting. O governador de São Paulo, Geraldo Alkmin, também prestou homenagem.
O filho mauro, jornalista esportivo que estava trabalhando na madrugada de quinta, foi quem deu a notícia da morte do pai ao vivo no rádio.
“Por mais que seja esperado, ao mesmo tempo foi uma emoção e ao mesmo tempo um dever de ofício, que o meu pai nos ensinou amar o que faz, e ele sempre amou o que faz”, afirmou Mauro Beting, filho de Joelmir.
Joelmir tinha 55 anos de carreira. Trabalhou em jornais, rádios, televisões, foi autor de livros e teve uma coluna que saía em quase meia centena de publicações. Ficou 18 anos na TV Globo, onde fez reportagens, comentários econômicos e mediou debate eleitoral. Nos últimos anos trabalhou na rádio e TV Bandeirantes.
A marca de Joelmir no jornalismo foi sempre procurar traduzir em linguagem simples as questões intrincadas da economia. Em seus comentários trazia exemplos do cotidiano e fazia comparações com situações conhecidas do público. Nessa busca pelo simples, pelo didático, foi pioneiro.
Explicou os vários planos econômicos das décadas de oitenta e noventa, com bom humor. "Se correr a prestação pega, e se ficar o aluguel come", disse Joelmir.
Palmeirense roxo, foi dele a idéia de homenagear um belo gol de Pelé, do Santos, com uma placa no Maracanã, daí surgiu a expressão "gol de placa".
Lucila Beting, sua mulher, disse que os dois estavam próximos das bodas de ouro.
“Ele está rodeado de luz e hoje eu não choro, mas ele foi um maridão, nós iríamos fazer 50 anos dia 14 de abril. Ele foi só um pouquinho antes. A gente comemora aqui e ele comemora no céu”, disse Lucila Beting, viúva.
A presidente Dilma Rousseff divulgou nota de pesar, em que destacou Joelmir como um mestre das missões primordiais do jornalismo: a de explicar as notícias de forma simples, nunca simplória. A presidente afirma que suas lições merecem ser seguida