segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

FÚRIA

OI PESSOAL, ME DESCULPEM PELA FALTA DE TEMPO PARA POSTAGENS, MAS É QUE INÍCIO DE ANO É UM "DEUS NOS ACUDA" COM VÁRIAS COISAS E TRABALHO. ENTÃO AS POSTAGENS DEMORARAM PARA SAIR ESTE ANO.
CONTINUAREI NO CONTEXTO DE REFLEXÃO, DEPOIS TRAREI NOVIDADES, IMAGENS, VIDEOS ETC.





MAS VAMOS AO POST

COMO SEMPRE DIGO NENHUM SER HUMANO É LIVRE DAS RAZÕES QUE NOS CARACTERIZAM COMO HUMANOS...EMOÇÕES
E UMA DAS EMOÇÕES MAIS CONTUNDENTE E AVASSALADORA É A FÚRIA.
TODOS JÁ DEVEM TER OUVIDO FALAR DO FILME "UM DIA DE FÚRIA", POIS BEM, NÃO VOU FALAR DO FILME, MAS DA RAIVA...


É uma pessoa irritável? Fica furioso quando alguém tem uma ideia contrária à sua ou ousa criticá-lo? Falta-lhe autoconfiança?



Como dominar o seu temperamento

 É desaconselhado reprimir a sua fúria. Você não ignora que uma fúria voltada para dentro se torna ainda mais perigosa.



Os perigos de uma fúria reprimida



Quando um vulcão entra em erupção, é claramente preferível, para aqueles que se encontram na zona exposta, que a cratera não esteja entupida e que a lava possa fluir livremente. Caso contrário, os gases acumulam-se por baixo da cratera e quando esta explode é o Apocalipse! 

Uma fúria contida é comparável a um vulcão com a cratera entupida. Se tem um temperamento colérico, não serve de nada tentar reprimir a sua crise. Pelo contrário, vai chegar o momento em que ela vai explodir, mil vezes mais poderosa, aniquilando tudo por onde passa.

Além disso, também o vai aniquilar a si. Se se priva de exprimir a sua cólera contra outra pessoa, está a virá-la contra si! Desde a infância que nos buzinam aos ouvidos que: “não é bonito ficarmos zangados... As crianças bem educadas não fazem birras... Só as pessoas que têm mau feitio é que fazem birras..., etc.”. Temos, portanto, tendência para nos castigarmos pelas nossas fúrias, nos auto-destruirmos por todos os tipos de comportamentos não saudáveis e perigosos: tabaco, álcool, roer as unhas, doces, anorexia nervosa , insucesso escolar, drogas, enuresia... A lista dos nossos castigos é excessivamente longa.


Por conseguinte, devemos aprender não a reprimir a fúria, mas a canalizá-la.