quarta-feira, 26 de novembro de 2014

A FAMÍLA NA VISÃO DE PADRE ZEZINHO


A família segue atualmente um parâmetro comportamental, social da ansiedade , deixando para lá, uma construção social cautelosa para poder dar certo, conforme salienta Padre Zezinho em seu livro, Melhores Filhos, melhores pais, 2013.

“Em geral, porém, família é como obra de arte: não se improvisa. Escolhe-se com cautela o material e se grava ou se talha com o maior cuidado. Se é para durar, não se pode feita na base do “gostei e quero você para mim ainda esta semana”. Não obstante é o que se ouve e se lê em revistas populares e programas de televisão.” (Padre Zezinho, 2013,p.22)

Entende-se através das palavras do Padre Zezinho, que não se valoriza, a devida união familiar sob a perspectiva do “ir se conhecendo”, do “tempo para conhecer um ao outro”, considera-se apenas a titularidade da ansiedade de uma relação não profunda, com sentimentos aflorados e não maduros.
Deve-se amadurecer a relação entre os casais, para que a convivência deixe espaço para os diálogos do entendimento, no desejo de que cada um quer, seja para o bem da relação.