quarta-feira, 8 de abril de 2015

ACIDENTE DE BUGGY QUE VITIMOU DANIELA ALBANO É O 20º - SEGUNDO JORNAL "O POVO" - REVEJA OS CASOS



Desde 1997, média supera um acidente de buggy por ano nas praias do CE

Imagem da Internet (vemverbrasil.com)
Em dez dos 20 acidentes registrados pelo O POVO, os buggies trafegavam sem credenciamento. Bugueiros regularizados apontam fiscalização deficiente na área do acidente que vitimou jovem de 19 anos em Beberibe
 
Em média, cada ano teve pelo menos um acidente envolvendo buggies nas dunas e faixas de praia do Ceará desde 1997, deixando 15 mortos e pelo menos 41 feridos. Levantamento considera acidentes noticiados pelo O POVO no período e, dos 20 casos registrados (ver quadro), metade traz uma prática em comum: trafegar sem credenciamento dos órgãos de trânsito ou dos Municípios. Foram viagens feitas por conta própria ou passeios vendidos de forma clandestina, até por condutores sem habilitação para dirigir.

No último sábado, 4, o capotamento de um buggy em Beberibe vitimou Daniela Luíza Ferreira Albano, de 19 anos, natural de Chorozinho. O acidente ocorreu nas dunas da Barra da Sucatinga, por volta das 17 horas. “O condutor não tem registro em nenhuma das cooperativas que fazem passeios no município. As informações são de que ele e a esposa saíram com pessoas conhecidas”, afirmou Rosa de Fátima Barbosa, titular da Delegacia de Beberibe.

No veículo, estariam sete pessoas, incluindo o motorista. A Polícia ainda ouve depoimentos de familiares e outras pessoas envolvidas no acidente e aponta o peso do excesso de passageiros como hipótese para o capotamento do veículo. E aguarda que os proprietários do buggy se apresentem para prestar esclarecimentos. O inquérito tem 30 dias para ser concluído.

O buggy trafegava a cerca de 300 metros fora de uma trilha já sinalizada para os passeios autorizados entre a praia e a Lagoa do Uruaú, afirma Elenilson Silva, credenciado pela Associação de Bugueiros de Beberibe (ABB). “As pessoas que não trabalham diariamente nas dunas e não têm o treinamento adequado podem não saber do perigo. A fiscalização precisa ser mais forte, aparecer com medidas educativas”, comenta o bugueiro em atividade há nove anos.

Os passeios são regulamentados pelo município de Beberibe desde 2013, explica a secretária do Turismo, Meiridiana Queiroz. São 12 entidades autorizadas com cerca de 340 buggies. Sem a autorização, buggies, quadriciclos e veículos 4x4 estão proibidos de explorar as faixas de duna. Junto ao Governo do Estado, o município aguarda aumentar a fiscalização com a criação da trilha da Área de Proteção Ambiental (APA) da Lagoa de Uruaú, acrescenta Meiridiana.

Com uma viatura, a Coordenadoria Municipal Executiva e Rodoviária de Trânsito e Transportes (Comutran) de Beberibe fiscaliza a área entre Barra Nova e Parajuru. Quando flagra um veículo em local proibido, o procedimento é notificar os condutores e acompanhá-los para fora das dunas. A multa é de infração média por tráfego em local proibido, com valor de R$ 85,13 e quatro pontos na carteira de habilitação.

MEMÓRIA

7/3/1997. Duas pessoas morreram e uma ficou ferida após manobra arriscada nas dunas do Cumbuco, em Caucaia.

14/10/2000. O estudante Francisco da Silva Fernandes, 15, morreu após um buggy cair de uma duna, no município de Beberibe. Veículo era guiado por outro estudante durante a madrugada após uma festa.

1/9/2002. Um casal de turistas mineiros e o motorista de um buggy ficaram feridos depois de capotamento nas dunas da Barra do Cauípe, em Caucaia. Motorista não tinha autorização para guiar nas dunas.

2/1/2004. O guia turístico Sebastião de Nojosa Gomes, 33, morreu ao capotar o buggy que dirigia, durante uma chuva próximo à Lagoa do Banana.

26/1/2004. Na Prainha do Canto Verde, em Beberibe, o capotamento de um buggy matou o jovem Hugo Santos Maciel, 20, e deixou cinco feridos.

24/2/2004. Em Cascavel, Antônio Roberto Oliveira da Silva e o filho Robson Farias da Silva morreram após capotamento de um buggy. Na localidade de Boi Morto, foram quatro feridos e a morte da estudante Ana Glésia Machado Zacarias.

2/11/2004. Marcos Yukio Sato, 46 anos, morreu em acidente de buggy em Trairi. O condutor fugiu após o ocorrido.

6/1/2005. Turista de Manaus (AM), Mônica Nascimento de Souza, 30, morreu após ser arremessada para fora em um acidente de buggy nas dunas da Prainha (Aquiraz). Motorista não tinha carteira de habilitação.

26/6/2005. O engenheiro Francisco Evandro Barbosa de Almeida, 48, morreu após acidente com buggy guiado por um amigo. Eles se dirigiam para a Praia de Picos, em Icapuí.

12/7/2005. O casal de turistas de São Paulo ficou ferido quando o motorista de um buggy fretado perdeu o controle do veículo e capotou na praia do Cumbuco. Apesar de ter sido um passeio pago, o condutor não possuía carteira de habilitação

31/12/2005. Cinco pessoas da mesma família ficaram gravemente feridas e uma saiu morta de acidente em Jericoacoara. Elas vinham em um buggy quando o veículo colidiu com uma Hilux.

8/1/2010. Um motorista de buggy sem credenciamento colidiu com um veículo cadastrado na Associação Ecológica dos Bugueiros de Aquiraz (Aeba). Cinco pessoas foram hospitalizadas.

8/1/2010. Buggy não credenciado pela Prefeitura de Caucaia colidiu com um caminhão após sair das dunas do Cumbuco e se deslocar para Fortaleza. A colisão foi na CE-090 e deixou três turistas levemente feridos.

14/1/2010. Uma menina de cinco anos, Bianca de Oliveira Rocha, morre no acidente de buggy em Paracuru. O veículo trafegava na faixa de praia e caiu numa vala de um metro e meio. O pai de Bianca conduzia o buggy, levando ainda mais dois adultos, duas idosas e outra criança, todos eram turistas do Espírito Santo e pertenciam à mesma família.

25/3/2010. Três turistas de Brasília ficaram feridos quando um buggy caiu em uma vala nas dunas da Prainha, em Aquiraz. O condutor pertencia a uma associação de bugueiros, mas dirigia veículo particular.

28/10/2010. O capotamento de um buggy em Canoa Quebrada causou a morte da turista Sônia Dacota, 24, portuguesa naturalizada francesa. Ela foi lançada para fora do veículo, que era conduzido pelo companheiro Jean Albert Angelby, 54, que foi indiciado por homicídio culposo.

7/9/2011. O choque de dois veículos não credenciados deixou quatro turistas feridos na praia de Canoa Quebrada, em Aracati. Eles trafegavam em faixa de duna considerada perigosa.

1/9/2011. A cearense Maria Charlene do Nascimento, 29, que morava na Itália morreu após colisão entre dois buggies nas dunas da praia de Canoa Quebrada, em Aracati.

18/4/2014. Na descida de uma duna em Jericoacoara, pai, mãe e duas filhas ficaram feridos após o motorista de um buggy tentar uma manobra no paredão de areia. Eles foram arremessados para fora do carro. Ao O POVO, denunciaram a falta de estrutura hospitalar da região. 

 Fonte: www.opovo.com.br