quinta-feira, 6 de setembro de 2012

GABRIELA - UMA FILOSOFIA CONJUGAL.....





Oi galera, não sei quanto a vocês, mas revendo(digo, vendo, pois não assisti a anterior) a telenovela “Gabriela” da Globo, me deparei com a maior filósofa da historia do Brasil, em termos de relacionamento conjugal e convivência humana...e essa pessoa é Gabriela, vivida por Juliana Paes. As idéias compartilhadas com o público é a da mais pura inocência à sabedoria de felicidade. Cujos preceitos condizem com a liberdade...apenas a liberdade, sem prestar contas com a sociedade.
Há cenas em que ela diz: - E casamento é prisão ?

***********************************************************************
NOVELA GABRIELA DE 1975

A novela retratava a vida de Gabriela, simples moça do sertão baiano que fora para Ilhéus para fugir da seca nordestina. Moça sofrida, porém muito alegre, seduzia os homens; a novela mostrava o amor de Gabriela com um estrangeiro que não aceitava seu comportamento, ora ingênuo, ora loucamente sensual. Gabriela era uma cabocla (filha de índia com branco) brigona e ousada, que andava descalça e com vestidos extremamente curtos, e muito trabalhadora.

Elenco
Sônia Braga - Gabriela
Paulo Gracindo - Coronel Ramiro Bastos
Armando Bogus - Nacib
José Wilker - Mundinho Falcão
Fúlvio Stefanini - Tonico Bastos
Nívea Maria - Jerusa Bastos
Gilberto Martinho - Coronel Melk Tavares
Elizabeth Savalla - Malvina Tavares
Jayme Barcellos - Ezequiel Prado
Marco Nanini - Professor Josué
Ary Fontoura - Doutor Pelópidas Clóvis Costa
Hemílcio Fróes - Alfredo Bastos
Neila Tavares - Anabela Fernandes Prado
Luiz Orioni - João Fulgêncio
Paulo Gonçalves - Maurício Caíres
Ana Ariel - Idalina Tavares
Rafael de Carvalho- Coronel Coriolano
Mário Gomes - Berto Leal
Cosme dos Santos - Tuísca
Castro Gonzaga - Coronel Amâncio Leal
Thelma Reston - Arminda
Eloísa Mafalda como Maria Machadão
Ângela Leal como Olga Bastos
Tonico Pereira - Chico Moleza
Participações especiais
Dina Sfat - Zarolha
Maria Fernanda - Dona Sinhazinha Guedes Mendonça
Milton Gonçalves - Filó
Outras participações
Marcos Paulo - Eng. Rômulo Vieira
Sônia Oiticica - Sílvia Bastos
Ana Maria Magalhães - Glória
Francisco Dantas - Coronel Jesuíno Mendonça
João Paulo Adour - Osmundo Pimentel
Rubens de Falco - Pimentel
Hugo Carvana - Argileu Palmeira
Stênio Garcia - Felismino
Paulo César Pereio - Príncipe
Maria Lúcia Dahl - Jandaia
Natália do Valle - Aurora
Roberto Bonfim - Chico Chicão
Clementino Kelé - Fagundes
Germano Filho - Silva
Alciro Cunha - Coronel Aristóteles Pires
Monah Delacy - Dona Deusolina Leal (Dadá)
Pedro Paulo Rangel - Juca Viana

Curiosidades

Gabriela foi reapresentada no Brasil em quatro ocasiões:
de janeiro a maio de 1979, às 22h;
em 1980, num compacto de 90 minutos no "Festival 15 Anos";
em junho de 1982, às 22h15, compactada em 12 capítulos;
de 24 de outubro de 1988 a 24 fevereiro de 1989, às 13h30, na sessão Vale a Pena Ver de Novo, em 90 capítulos.
A novela foi lançada quando a Globo comemorava dez anos de existência e cinco anos de liderança nacional.
O ator inicialmente pensado para viver Nacib foi Jardel Filho.
A atriz Ana Maria Magalhães, que também participou da novela, foi cogitada para o papel principal, por ser bem mais morena do que Sonia Braga, que usava tintura para o bronzeamento da pele conforme noticiado nas revistas da época.
A sequência em que Gabriela sobe no telhado para pegar uma pipa entrou para a história da televisão.
Foi a primeira atuação em novelas das atrizes Elizabeth Savalla e Natália do Valle.
Sonia Braga foi elevada à categoria de estrela depois da sua atuação como "Gabriela".
O nome de Sônia Braga só era creditado em quarto lugar depois de Paulo Gracindo, Armando Bogus e José Wilker.
O artista plástico Aldemir Martins, que ilustrara os livros de Jorge Amado, foi o responsável pela abertura da novela.
Foi a primeira novela da Globo a ser exibida em Portugal, na RTP.
Foi um grande sucesso em 1977 e seria repetida mais algumas vezes pela RTP.
Jayme Barcellos foi convidado para o Carnaval da Mealhada, em Portugal.
A novela foi repetida na SIC (primeira televisão privada portuguesa) em 2004, às 16:45.
O sucesso da telenovela no Brasil e no exterior foi o estopim para a produção do filme, protagonizado por Sônia Braga e Marcello Mastroianni e dirigido por Bruno Barreto.
Elizabeth Savalla recebeu da Associação Paulista dos Críticos de Arte o prêmio de Melhor Revelação da Televisão de 1975, por sua interpretação de Malvina Tavares.
Única novela do extinto horário das 22:00 a ser reprisada no Vale a Pena Ver de Novo.


Remake 2012

Um remake da telenovela entrou no ar em 18 de junho de 2012, adaptado por Walcyr Carrasco e dirigido por Mauro Mendonça Filho, com Juliana Paes no papel-título, sendo a segunda telenovela "das onze" da emissora.

Escolha do elenco
Na fase de escalação do elenco, a Rede Globo teve problemas para fechar o casting.
Para o papel-título, antes de Juliana Paes está escalada, foram cotadas para o papel Mariana Rios, Camila Pitanga, Cléo Pires, Sophie Charlotte e Carol Macedo[2]. Para viver Maria Machadão, foram convidadas as atrizes Sônia Braga, Lucélia Santos, Susana Vieira, Regina Duarte, Betty Faria e Elizabeth Savalla, mas desbancando atrizes consagradas o papel acabou ficando com a cantora Ivete Sangalo[3][4]. Houve também mudanças no papel de Dr. Osmundo Pimentel, até antes seria vivido por Bruno Udovic, passou por Bruno Gagliasso e Paulo Vilhena que desistiram antes do começo das gravações e o papel ficou com Erik Marmo.[5] [6] Para o personagem Zarolha foram convidadas Flávia Alessandra, Claudia Raia e Alessandra Negrini, após as recusas, a produção foi atrás de Leona Cavalli para o papel que aceitou de primeira [7]. Ao Contrário das desistências, Max Fercondini dado como certo no elenco, foi "desconvidado" e sendo substituido por Mateus Solano para o viver Mundinho[8].

Ator
Personagem
Interpretado(a) na versão original por
Gabriela da Silva Saad (Bié)
Nacib Saad
Coronel Ramiro Bastos
Mundinho Falcão
Gerusa Bastos
Tonico Bastos
Zarolha / Risoleta (Maria da Conceição)
Malvina Tavares
Lindinalva (Linda)

Maria Machadão
Coronel Jesuíno Mendonça
Maria Doroteia Leal

Professor Josué
Sinházinha Guedes Mendonça
Juvenal Leal

Glória Damasceno
Rômulo Vieira
Olga Bastos
Conceição Bastos Leal

Príncipe Sandra
Teodora

Anabela Fernandes Prado
Berto Leal
Dr. Osmundo Pimentel
Coronel Manoel das Onças
Coronel Coriolano Damasceno
Coronel Eustáquio Ferreira

Coronel Melk Tavares
Coronel Altino Brandão

Marinalva Tavares
Miss Pirangi
não existe[35]
Natascha

Quitéria

Mara

Coronel Amâncio Leal
Florzinha dos Reis

Dr. Ezequiel
Frank Menezes
Padre Cecílio
Douglas

Coronel Ribeirinho

Nhô Galo

João Fulgêncio
Dr. Maurício
Quinquina dos Reis

Daniel Ribeiro
Clemente

Dr. Pelópidas Clóvis Costa
Neca Vila Lobos
Sacristão Cosme

Dona Arminda
Iracema

Ina (Durvalina)

Heloísa Jorge
Fabiana

Jhe Oliveira
Negro Fagundes
Zuleika

Dona Rita

Bertrand Duarte
Alfredo Bastos
Néia

Sérgio Maciel
Damião

Rejane Maya
Zulmira

Widoto Áquila
Loirinho

Telma Souza
Prazeres

Renan Ribeiro
Chico Moleza
Gustavo Mello
Bento

Max Lima
Tuísca
Anna Gabriela Marques
Maria Lupicínia

Felipe Gimenez
Ramirinho

Kaic Crescente
Ladislau

Carlos Betão
Alceu

Clara Paixão
Miquelina

Everton Machado
Sete Voltas


  Fonte: Wikipédia



---------------------------------------------------------------------------------------------------------------


Hi guys, I do not know about you, but reviewing (say, seeing as the previous one did not watch) the telenovela "Gabriela" the Globe, I came across the greatest philosopher in the history of Brazil in terms of marital relationships and human coexistence. .. and that person is Gabriela, played by Juliana Paes. The ideas shared with the public is the purest innocence to wisdom of happiness. Whose precepts meets only freedom ... freedom without accountability to society.
There are scenes in which she says: - And marriage is prison?

.............................................................................................................................................................

GABRIELA NOVEL OF 1975

The novel portrays the life of Gabriela, simple girl from the backlands of Bahia who had to Ilheus to escape the dry Northeast. Girl suffered but very cheerful, seducing men, the novel showed Gabriela's love with a foreigner who did not accept their behavior, sometimes naive, sometimes wildly sensual. Gabriela was a cabocla (daughter of India with white) rowdy and daring, who walked barefoot and with extremely short dresses and very hardworking.