terça-feira, 8 de setembro de 2015

Queimou a própria casa, depois de brigar com esposa.

Pedreiro é suspeito de queimar a própria casa após briga com esposa
--------------------------------------------------------------------
Cansado das constantes brigas e desavenças com a ex-mulher, o pedreiro Raimundo Silva, de 46 anos, teria, segundo a mãe dele, a aposentada Mariana Ribeiro, de 72 anos, ateado fogo na casa que dividia com a ex-companheira, na Rua Chico Mendes, bairro Novo Calafate, em Rio Branco. O fato ocorreu na noite de segunda-feira (7) e segundo a mãe de Silva, o filho sempre brigava com a mulher e no último domingo (6) a expulsou de casa. O fogo consumiu toda residência.

"Ele mandou ela ir embora no domingo e veio dormir aqui. Deixou a casa aberta para ela retirar as coisas e ela disse que só iria tirar de manhã. Quando foi de tarde, ele foi olhar se ela tinha tirado as coisas e viu que não, então, resolveu trancar a casa. De noite ele foi olhar a casa de novo e o cadeado estava quebrado. Ele ficou doido, depois que viu que ela tinha levado a televisão e tocou fogo no colchão. Queimou tudo", conta a aposentada Mariana Ribeiro, de 72 anos.

Ainda segundo a aposentada, o filho conheceu a ex-companheira há mais de um ano e desde então, sempre teve problemas porque a mulher vivia na rua, não ajudava nos serviços domésticos e seria usuária de drogas.

"Ela não fazia nada para ele. Quando ele chegava do trabalho ia fazer almoço para comer. Eles estavam juntos há mais de um ano e ela sempre foi um peso para ele. Só trouxe sofrimento, ela até prometeu encher o ouvido dele com água quente quando ele estivesse dormindo"

A mãe disse ainda que o filho incendiou a casa para que a mulher não ficasse com nenhum objeto. "Ela fazia tanta raiva para ele, só servia para fazer raiva. Ele trabalhava para comprar droga para ela, não podia faltar. Perguntei se ele não tinha vergonha na cara, porque desde a primeira briga era para ele ter mandado ela ir embora. É uma tristeza ver meu filho nessa situação", lamenta.

O Corpo de Bombeiros foi acionado para atender a ocorrência, mas as chamas já tinham consumido a residência quando a guarnição chegou. "A polícia também esteve aqui e ele disse que queimou porque a casa era dele e que ela não ia ficar com nada", finaliza a mãe.

De acordo com o delegado Leonardo Santa Bárbara, até a manhã desta terça-feira (8), nenhuma queixa-crime havia chegado à Delegacia da 4ª Regional. O delegado diz que a princípio o homem não deve ser indiciado pelo incêndio, mas o caso deve ser analisado.

"Tem que ver qual foi a situação, se gerou risco para outras pessoas. A situação ainda não chegou à Delegacia, mas vou me inteirar do caso", disse.