sábado, 26 de dezembro de 2015

O sincero pedido de natal de uma criança moderna


Papai Noel,

Este ano eu gostaria de pedir algo diferente.

Mais uma vez terminei o ano como um bom menino, fui comportado, fui um bom aluno, não respondi para os mais velhos, comi brócolis e bebi menos refrigerante (só Coca-Cola porque o senhor trabalha pra eles), não fiz bullying e graças a Deus não sofri. Então, acho que mereço meu presente.

Eu gostaria que o senhor trouxesse meus pais, meus tios e meus amigos de volta à vida real, eles parecem estar presos no fantástico mundo da internet. Até a minha vó, a pessoa mais velha que eu conheço, começou a usar e não desgruda, acredita? Eu até gosto, minha mãe deixa usar o tablet dela e de vez em quando eu jogo algo legal nele, mas o que eu gosto mesmo é de assistir o canal do Iberê no YouTube. O senhor viu aquele do dinheiro gigante?!! Uau!! É… YT é legal, mas eu não entendo porque meus colegas preferem assistir vídeos de pessoas jogando games ou falando qualquer bobagem pra câmera. Achou que sou um ET.

Por favor Noel que no próximo ano todo mundo use menos celular. Aliás, não traz mais celular aqui pro Brasil, minha professora falou que tem 30% mais celular que gente aqui, eu não sei bem quanto é isso, mas pela cara que ela fez deve ser muito. Ela disse que é por causa do Facebook e que os brasileiros não sabem usar a internet direito e por isso são os que gastam tempo em rede social. Engraçado é que eu tenho uns 10 amigos e e eles têm 700.

Parece que celular é o melhor brinquedo pra gente grande, eles ficam doidos com aquele iPhone e gastam muito, muito, muito dinheiro nele, porque aqui é bem caro. Meu pai falou que agora dá pra comprar que nem carro, um tal de consórcio(escreve com s ou ç?). Eu não entendo, todos servem para a mesma coisa, mas deve ser por causa daquela parte de ouro que ele tem.

Já perguntei pra mamãe porque todo mundo fica horas com pescoço torto olhando pra um aparelho que só faz duas coisas: Facebook e mandar mensagem. Não entendo, porque ela e o papai estão sempre dizendo “se eu tivesse tempo faria isso ou aquilo”. É só passar menos tempo no celular ora, mais fácil que tabuada de 1.

Ela não deixa eu ter Facebook, mas eu nem importo, é tão mais divertido brincar com os meus amigos do prédio, andar de bicicleta, ir ao cinema (dica de filme pro senhor: Ernest&Celestine, é ótimo! Tem no Netflix), jogar Jogo da Vida, ler gibi, ver fotos de verdade quando era criança (quer dizer, eu ainda sou… ah, o senhor entendeu), ir ao parque, brincar com o Babalu (meu cachorro, lembra dele?), lutar com o papai. Caramba, tem tanta coisa pra fazer que me parece maluquice ficar tanto tempo usando o dedo em uma telinha.

A mamãe me disse que ela usa o Facebook pra não perder o contato com os amigos, mas se é amigo mesmo como iria perder? Ela também falou que é ótimo pra saber das novidades, mas tem tanta novidade assim pra ficar horas olhando? Não seria mais fácil ver o resumo no Jornal Nacional? Meu pai prefere WhatsApp, ele não fica tanto quanto a mamãe, mas o celular dele tá sempre apitando, aí ele abre, solta uma gargalhada, mostra pra mamãe, ela ri também, aí ele continua no celular e pára o que estava fazendo.

Sei lá, acho que meus pais não aproveitam tanto quanto eu. É no almoço em família na casa da vovó, no restaurante, no aniversário dos meus amigos, eles estão sempre com celular na mão. Na minha escola, os mais velhos também parecem sofrer disso, será que eu vou ficar assim?! Não deixa Noel!

É por isso que eu preciso da sua ajuda! Já que eu não posso trocar de pais, de vó, de tio e de amigos, o senhor pode fazer eles usarem menos o celular e rede social em 2016? Não adianta derrubar no vaso sanitário ou pedir pra algum pivete roubar porque eles vão comprar outro no mesmo dia, tem que fazer eles enxergarem tudo que estão deixando de aproveitar, a companhia das pessoas, as risadas, a beleza das coisas, bons livro, prática de esporte, as brincadeiras com os filhos. Por que será que eles não enxergam isso?

É isso que eu quero de presente este ano, talvez você vá precisar de um saco maior, mas eu confio no senhor.

Obrigado!

Fonte: Pequeno Guru