sábado, 27 de junho de 2015

Durma feito um bebê: 10 dicas definitivas

Durma bem (Foto: Getty Images)O relógio marca meia noite. Os ponteiros não param de mexer e nada do sono aparecer. A vontade de dormir aponta lá pelas 5 horas da manhã e o despertador apita às 7h. Está situação é mais comum do que se parece, e é bastante conhecida por quase metade da população no país. De acordo com a Sociedade Brasileira do Sono (SBS), 43% dos brasileiros sofrem com algum tipo de transtorno do sono.

“Uma noite mal dormida desregula as funções fisiológicas necessárias para uma vida saudável, deixando a pessoa sonolenta e irritada”, explica Augusto Colen, especialista em sono da Physical Care, em São Paulo. Além disso, também prejudica diversas funções como a do crescimento, memorização, redução da pressão arterial, frequência cardíaca e da síntese de gordura, favorecendo algumas doenças graves como obesidade e depressão.

O ideal, segundo Pedro Genta, pneumologista do Centro de Medicina do Sono do Hospital do Coração (HCor), em São Paulo, é dormir em torno de 6 a 7 horas por noite para que o organismo consiga realizar todas as funções necessárias ao longo do sono. “Sem esquecer que este descanso não deve ter muitos intervalos de interrupções, ou seja, acordar diversas vezes na madrugada”, aponta. Além disso, noites mal dormidas refletem na pele, que fica opaca, além de se acentuarem olheiras e manchas.
“Na falta de um sono de qualidade, o cortisol, hormônio ativado pelo estresse, permanece em altos níveis e não faz o ciclo como deveria. A consequência direta desse desequilíbrio é a formação de radicais livres e o aparecimento de rugas precoces", alerta Carolina Marçon, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

Rendimento no esporte
Para os atletas de plantão, que querem melhorar seus desempenhos ao longo de competições, ou até mesmo para os amadores que buscam dar um up no esporte que praticam, a ciência aponta que uma noite de sono profunda pode agir como uma espécie de doping natural nos esportistas. De que maneira? Conseguindo realizar todas as fases do sono. Dividido em cinco escalas: da primeira até a terceira o corpo entra em estado de relaxamento, a respiração fica mais calma, a temperatura corporal diminui, assim como os batimentos cardíacos. Já na quarta fase, ocorre o chamado doping natural, na qual o organismo libera o hormônio do crescimento e a testosterona, essenciais para a recuperação e o desenvolvimento dos músculos, células e órgãos.

Já na quinta fase, as informações realizadas ao longo do dia são arquivadas na memória cerebral. Portanto, quem dorme mal não fica o tempo suficiente nestas fases, não conseguindo recuperar o corpo e a mente. Um estudo internacional realizado com atletas apontou que jogadores de basquete que dormiram o sono profundo conseguiram melhorar a pontaria nos lanças livres em 9%. Já os tenistas acertam 42% mais bolas dentro da quadra. Os nadadores conseguiram saltar 17% mais rápido na partida após um sono reparador. Alguns atletas profissionais já estão seguindo estes estudos. É o caso do nadador Thiago Pereira, que dorme 8h30 por noite. O velocista jamaicano Usain Bolt, que dorme 10 horas, enquanto o tenista Roger Federer e o jogador de basquete LeBron James chegam a 12 horas de descanso.
Boa noite!

http://gq.globo.com/