segunda-feira, 25 de maio de 2015

BOATO NO FACEBOOK, GERA BRIGA E MORTE



Um boato sobre a postagem de uma foto no Facebook gerou uma briga entre dois homens, que terminou com a irmã de um deles morta e dois baleados, na região de Venda Nova, em Belo Horizonte, na noite desse sábado (23).
Facebook, Venda Nova, homicídioUm dos baleados contou à Polícia Militar (PM) que ele colocou uma imagem na rede social e que isso causou um desentendimento entre ele e o suspeito dos disparos. Os dois trocaram socos e o ferido, de 31 anos, deu uma cabeçada no outro, que foi para casa prometendo buscar uma arma e voltar para matar o desafeto.
Mais tarde, o homem retornou em um Agile prata e atirou várias vezes contra o rival que estava sentado na porta de sua casa, na rua Londres, no bairro Vila Copacabana. Ele foi atingido por três tiros. Contudo, sua irmã Edinalva Martins Castorino Gomes, 33, que o fazia companhia, tentou correr quando percebeu a atitude do suspeito, mas foi atingida por uma bala na axila esquerda, bem como um conhecido dos irmãos, de 22 anos, que estava nas proximidades, foi atingido por um tiro no braço esquerdo e um outro no antebraço esquerdo.
Os três foram socorridos pela PM para o Hospital Risoleta Tolentino Neves e Edinalva morreu na unidade de saúde. Os feridos têm quadro clínico estável. A PM fez buscas pelo suspeito, mas ele não foi localizado.


Mais cedo, segundo informaram familiares dos irmãos baleados à reportagem de O TEMPO, a mulher do suspeito saiu da festa de aniversário da filha deles e foi informar que o marido voltaria com alguns amigos para tirar satisfação, mas ninguém teria acreditado, já que ele foi criado junto com a família do então desafeto. Antes de atirar, o suspeito também teria passado de carro, mostrando uma arma.
Facebook, Venda Nova, homicídioAinda, conforme os parentes, na verdade, não existe a fotografia. O suspeito estaria espalhando um boato de que o seu rival teria postado um foto de si mesmo pelado na rede social, o que gerou a discussão entre os dois.
"Foi uma briga normal, por causa de coisa boba, e nós conversamos, mas ele voltou e fez o que fez. A gente não esperava, ele não é de guerra e nem de tráfico. Ninguém imaginava que ele pudesse fazer isso", contou o irmão baleado.
"Ele foi covarde e chegou atirando. O problema dele era comigo, mas tinha um monte de gente perto de mim e ele nem pensou", completou o homem que já recebeu alta do hospital. O outro ferido continua internado.
Edinalva deixa duas filhas, de 8 e 11 anos. A mais velha teria visto o momento em que a mãe tentou correr e caiu ao chão, ao ser atingida.
"Eu não vou guardar ódio, acredito na providência divina. A justiça dos homens é em primeiro lugar, mas a justiça de Deus demora, mas não falha", afirmou a doméstica Maria Martins da Cruz, 58, mãe dos irmãos baleados.